Anunciaram e garantiram ...


Marcos Moreno


Qual candidato a um cargo no executivo de uma cidade que não anuncia e garante políticas perfeitas em todos os sentidos, agora também no que diz respeito a políticas públicas de proteção animal? Qual candidato vai dizer - hoje em dia - que nada vai fazer pela causa animal? Nenhum. Esse agora é um forte segmento e que conquista o voto de muitos eleitores que sim, de verdade, fazem muito pela causa animal. Mas cobram a parte do poder público, especialmente o que foi prometido. Felizmente a questão animal tem sido levada mais a sério, o que deveria ter sido sempre. E é uma questão muito mais ampla do que imaginamos, porque se desdobra em saúde pública, meio ambiente e por aí afora. O certo é que pode estar desde em sérias políticas de esterilização até proibição de caça, chegando ao tráfico de animais silvestres, meio ambiente, etc. Só que não. Na esfera política esse “levada a sério” não é bem assim. Todos prometem o paraíso, mas depois de eleitos, a coisa muda de figura. Fico impressionado como ainda existem pessoas que acreditam em promessas de campanha. “Anunciar e garantir” é uma expressão só pra música mesmo. 



O próximo passo 

Tenho acompanhado o desenrolar da questão que se formou em torno do apontado desmonte da Superintendência de Bem-Estar Animal de Uberaba. Veio à tona o fato de terem desativado o órgão sem qualquer explicação ou aviso prévio. Gerou polêmica e claro, a equipe da PMU se posicionou, dizendo, a princípio, que isso tinha acontecido porque existia um projeto muito mais amplo para o segmento. Nada foi provado. Enfim, tudo isso já foi dito. Mas quem está acompanhando? Depois de mais algum tempo, exibiram um papel com um “planejamento” mais primário impossível, tipo um organograma feito às pressas para dar a entender que esse projeto existia. E o que me causa espanto, é que tem gente inteligente que acredita. É claro que não existia, e isso, infelizmente, ninguém pode provar. Mas tudo bem. Já que trataram de passar para o papel uma “promessa” de campanha, esperava-se um próximo passo. Mas não houve. 



Apertem o cinto, a superintendente sumiu... 

Tentando verificar a questão, liguei no órgão responsável que supostamente existe agora no Centro de Zoonoses de Uberaba conforme tinha sido apresentado no papel como se fosse o local onde se desenvolveria o projeto muito mais ampliado que antes. Sondei com pessoas interessadas na questão animal. Quis entender melhor esse amplo e abrangente funcionamento, mas não consegui. Acabei ligando para o telefone que me informaram ser o contato para denúncias de maus tratos a animais. O telefone é do Serviço de Cerimonial da prefeitura. Será que enganei? É brincadeira? Não. É isso mesmo.  E pior, o uberabense entrou nessa brincadeira. Como que o telefone de uma Superintendência de Bem-Estar Animal está no departamento de Cerimonial da prefeitura? Ou a Superintendência está no Centro de Zoonoses ou ... Não dá pra falar... A estrutura prometida e alardeada (depois do escândalo do desmonte da Superintendência de Bem-Estar Animal) não está funcionando “ainda”. A superintendente ou o Superintendente não foi nomeada ou nomeado. Enfim, infelizmente não está tudo “como d’antes no quartel de Abrantes’ porque está muito pior. Pergunto: alguém acreditou no “projeto mais abrangente para a causa animal”? Não dá mais pra justificar. Não era pra ter sido interrompido o serviço e, se tivesse sido realmente ampliado que ficassem sabendo quem desses serviços precisassem. Falta remédio, falta estrutura, falta verdade. Mas sobra “promessinhas”.  Fazer pose em palanque? Pelo amor de Deus! Não venham justificar nada com gatinhos no colo, por favor. Não é hora de ficar remendando com poses para um segmento que agora se viu que pode pressionar a política. As coisas deveriam ser feitas sem alarde, sem pose para que não faltasse tempo e esforço real para gerir essa situação de pandemia, que é pontual, grave e está descontrolada. A coisa aqui tá feia. A causa animal tinha que estar indo “bem obrigado”, o que é totalmente possível, absolutamente necessário e obrigação do município.  É uma “remendação” sem fim. Só se remenda para sair uma foto bonitinha. Ou bonitinha na foto?  Mas nada sai do papel (quando pelo menos se coloca em um papel). E essa á situação da causa animal em Uberaba - Minas Gerais. Muito triste! 



Um lado mais cruel 

Se é que é possível, ainda existe um lado mais cruel quando se trata da causa animal aqui em Uberaba. Também tenho acompanhado, mesmo sem querer me envolver porque não sou protetor independente de animais, denúncias de desentendimentos (brigas mesmo) entre pessoas que trabalham para a proteção animal, querendo “mostrar serviço” ao custo da vida dos próprios animais. Animais estão morrendo não apenas por falta de socorro e por falta das políticas públicas necessárias, mas também por ciúmes na esfera política. Isso é cruel. E a cada dia aparecem mais e mais notícias estarrecedoras quanto a esses abusos.  Estou louco pra fazer uma matéria mostrando fotos de animais bem tratados, felizes e sendo criteriosamente encaminhados para adoção por um órgão competente e sensato do município.


(Parceiro publicitário: Moreno Pet Blog)


Marcos Moreno

Comunicador, colunista, criador da Coluna Amigo Animal e do Moreno Pet Blog. 

Siga o Marcos no InstagramFacebook e/ ou lhe envie um e-mail (kiktiomoreno@terra.com.br).


Siga a Revista Mulheres no Instagram e no Facebook.