Café com o Fotógrafo - Outra Perspectiva


Arthur Matos


Fotos: Arthur Matos

Praticamente impossível falar de Fotografia e não passar pelo tópico de visão, a capacidade de ver as coisas de diferentes formas. E está realmente certo de ter esse assunto, já que estamos falando de uma capacidade de moldar formas, cores e luzes num espaço finito, que difere da nossa visão com dois olhos, com profundidade e sem bordas. Estamos tratando da Fotografia, uma forma de se expressar, de registrar um instante, de causar impressões e de se comunicar. 



E por mais que eu ame o que faço, defenda com todas as minhas forças o valor da Fotografia, como expressão e negócio, não posso deixar de fazer a observação de que essa arte não é algo exclusiva de apenas alguns poucos escolhidos com o famigerado “dom”. Temos câmeras por todos os lados e todos que quiserem e estiverem dispostos a se esforçar são capazes de criar imagens de tirar o fôlego. Aproveito então para fazer o convite de que se levante neste momento, procure um lugar ou algo que ache digno de um clique e se expresse! Feito? Ótimo, voltemos ao assunto de perspectiva. 

Não é que esteja totalmente fora do contexto o que acabei de dizer, mas o assunto vai mudar levemente de foco (e olha que o trocadilho nem foi intencional). Quero conversar com vocês é sobre visão, perspectiva, mas não de uma forma tão abstrata. Falando de forma mais generalista sobre Fotografia, acabo indo no assunto de um plano mais abrangente, porém quero transitar da visão sobre o mundo pela arte da Fotografia e ir para a visão sobre as pessoas. Registro e treino desde o início da minha vida na arte o olhar sobre a beleza feminina. Me encanta, me instiga a tirar o melhor possível de cada uma que é minha modelo, mesmo que por uma sessão, e dessas experiências percebi que existe algo extremamente importante: a perspectiva sobre si mesma. 


Modelo: Mari Viana


Percebi que a obviedade das belezas que fotografava não estava quase nunca tão clara para as mulheres que fotografava como estava para mim. Talvez seja um pouco injusto exigir que essa visão esteja evidente, já que não é obrigação de ninguém desenvolver um olhar fotográfico e nem ter uma visão tão criteriosa de si mesma. Considero mais do que justo escancarar essa obviedade e mostrar a minha visão, trazendo assim uma visão de si mesma de uma forma que talvez nunca havia sido explorada. E por um certo capricho do universo, comecei a receber com grande frequência pedidos de ensaios que iam nessa linha de raciocínio, mesmo que sem a intenção. Assim nasceu o Projeto Nuances, com a intenção de mostrar o poder de cada mulher de ser como ela quiser, inclusive provocativa e sedutora.


Modelo: Maju


Estou fazendo uma propaganda do meu trabalho? Estou! Mas é justamente por acreditar na capacidade de transformação que a Fotografia tem na vida de uma pessoa, uma vez que já vi inúmeras vezes essa mudança de auto visão, clara e linda na entrega de uma produção pronta. E o real ponto deste texto é trazer o fato de que a Fotografia é transformadora, seja para o autor do clique, seja na capacidade de trazer à tona novas perspectivas de si mesmo.


Arthur Matos

Fotógrafo, publicitário, professor de Fotografia, criador do Projeto Nuances. Siga Arthur no Instagram. Acesse o site dele ou envie um e-mail para arthurmatosc@gmail.com. 


Siga a Revista Mulheres no 
Instagram e no Facebook.