Nossa Rica Uberaba - Hugo Rodrigues da Cunha


Gilberto de Andrade Rezende


Um marco na industrialização



“Uberaba é o centro do universo” disse Hugo aos empresários que o visitavam em sua residência em busca de uma cidade onde pudessem instalar uma fábrica de processamento de madeira, que compraram na Europa. 

José Alencar Gomes da Silva, o líder do grupo, brincava, que este foi o motivo que levou o grupo a escolher nossa cidade onde, associado à empresa Triflora de Uberaba, implantou a Minasplac no DI I - (hoje Duratex). 

Esta empresa foi uma das dezenas de indústrias que enriqueceram nosso parque industrial no primeiro governo municipal de Hugo Rodrigues da Cunha. Entre elas, destaca-se a implantação da empresa Fosfértil, que permitiu a instalação de um complexo de industrial voltado para a fabricação e distribuição de adubos, no DI III. 

Este novo pilar da economia foi fruto de um trabalho liderado pela ACIU, na gestão de Jorge Dib Neto, em 1972, que criou uma Comissão de Industrialização de Uberaba, integrada por todas as lideranças da cidade, com o objetivo de implantar parques industriais. 

Para que este projeto de industrialização pudesse lograr êxito, era necessário haver uma sintonia entre os empresários e o Poder Público, razão da escolha de Hugo Rodrigues da Cunha, um líder classista, como candidato a Prefeito de Uberaba. 

Para assegurar sua vitória o grupo Triflora, em parceira com Edson Prata e outros amigos como Marcelo Palmério, Urbano Salomão, Unias Silva, Adilsson Pereira de Almeida e outros, compraram o Jornal Correio Católico e o transformaram no Jornal da Manhã. 

Com o objetivo de divulgar o programa de governo de Hugo, na véspera da eleição de 1972, contando com o apoio voluntário de centenas de alunos da FIUBE (UNIUBE), o Jornal da Manhã distribuiu 40.000 exemplares de sua edição, como contribuição de campanha. 

Hugo Rodrigues da Cunha, nascido em Uberaba em 1927, formou-se em Ciências Contábeis e em Direito. 

Na área política foi prefeito de Uberaba em duas gestões – 1973/1977, pela Arena e 1989/1992, pelo PFL. Hugo, além de ter exercido uma administração profícua, deixou o exemplo de um administrador atuante e honesto. 

Em seu governo o DI I (Distrito Industrial) foi ampliado de 500.000 para 2 milhões de m2, e foram implantados os DI – ns. II e III. 

Ao fim de seu primeiro mandato, Hugo elegeu como seu sucessor, Silvério Cartafina Filho, Secretário Municipal de Saúde, no período de 1977/1982 e, após o segundo mandato, foi eleito seu Secretário de Indústria e Comércio, Luiz Guaritá Neto (1992/1995). Um reconhecimento da comunidade pelo desempenho do prefeito Hugo Rodrigues da Cunha. 

Sua primeira experiência na área política se deu em novembro de 1970, disputando uma vaga na Câmara dos Deputados, não obtendo sucesso. 

Em 1978, logo após seu primeiro mandato como Prefeito de Uberaba, novamente se candidatou a Deputado Federal, sendo diplomado como 3º suplente e empossado em março de 1979.

Em 1994, em nova campanha como candidato a Deputado Federal, conseguiu se eleger, obtendo a maioria dos votos da região. Participou na Comissão de Agricultura e Política Rural e em outros importantes setores do Congresso Nacional. 

Como líder Classista foi eleito presidente da ACIU em 1968. Em sua gestão foram iniciados os estudos para a criação do Clube dos Diretores Lojistas e também a criação de novos Sindicatos Patronais. Contribuiu para a criação da Faculdade de Zootecnia e para a implementação da eletrificação rural. 

Na presidência da ACIU realizou em maio, a Exposição Comercial e Industrial e em 1969 diplomou os primeiros economistas formados pela Faculdade de Ciências Econômicas, o mesmo ano em foi reconhecida pelo MEC pelo Decreto 65.976/69. 

Junto com Arnaldo Rosa Prata da ABCZ e Ronan Tito de Uberlândia, criou em 1967 a “UDET” -  União para o Desenvolvimento do Triângulo, que tinha como objetivo liderar o primeiro grande movimento em prol da Emancipação do Triângulo Mineiro. 

Foi diretor e vice-presidente da Federação das Associações Comerciais de Minas Gerais, presidente do Diretório Municipal do PFL em Uberaba, vice-presidente da Associação das Empresas Cinematográficas Exibidoras de Minas Gerais e presidente da Associação dos Municípios do Vale do Rio Grande. 

No setor empresarial foi administrador da Companhia Cinematográfica São Luiz, proprietária dos Cines – Metrópole, São Luiz, Royal e Vera Cruz, bem como do Grande Hotel, o primeiro edifício de grande porte erigido no interior brasileiro, no ano de 1941. 

Os mais velhos vão se recordar que, por mais de duas décadas, imensas filas se faziam aos domingos, estendendo-se até a Praça Rui Barbosa, para assistir os filmes no Cine Metrópole em seus 1.700 assentos.

Fomos sócios por mais de vinte anos em empresas do complexo Triflora, no qual Hugo atuou em diversos setores do Reflorestamento. 

Acumulou, mercê de seu trabalho, três fazendas em seu patrimônio. Todavia, Hugo que não gostava de pedir nada a ninguém em suas campanhas políticas, usou recursos próprios provenientes da venda destes imóveis para custear suas próprias eleições. Um raro caso no Brasil em que um cidadão, que sai da política com a redução de seu patrimônio. 

Em sua primeira gestão, Hugo teve como vice, Mário de Assis Guimarães e como secretários, Luiz Gonzaga de Oliveira, José Paulo Miguel, Heraldo Totti, Zilma Terezinha Bugiatto, Silvério Cartafina, Antônio João de Barros, José Vicente Bracarense, Álvaro Vasques, João Fatureto Jr e Adauto Amaral além de Vicente Marino e Geraldo Barbosa, na Codau. 

Na segunda gestão teve como vice o Coronel Fernando Ferreira Vieira da Silva, e, entre outros, os secretários Luiz Guaritá Neto, Paulo Piau, José Elias Miziara, Paulo Bandeira de Melo, Paulo Batista de Carvalho, Maria Lúcia Barsan, Tarquilino Teixeira, Professor João Batista, César Tadeu Teixeira e, na Fundação Cultural, Ivanilda Barbosa e Rosana Prata.

Foi uma surpresa a indicação de Alaor Carlos de Oliveira Junior para a Secretaria de Saúde. Pela primeira vez um odontólogo iria ocupar uma função sempre exercida por médicos. Todavia o desempenho do secretário superou as expectativas, demonstrando que gestão é questão de competência e não de título. 

Hugo era filho de Orlando Rodrigues da Cunha e de Laura Machado Rodrigues da Cunha e irmão de Carlos Alberto Rodrigues da Cunha e Sônia Machado Cunha Válio. 


Laura Machado Borges e os filhos: Hugo, Carlos Alberto e Sônia Rodrigues da Cunha


Hugo Rodrigues da Cunha era viúvo de Maria Inácia Naves Rodrigues da Cunha, (Naná) com quem teve quatro filhos: Hélio, Patrícia, Júnia e Cristina. Faleceu em 04 de junho de 2016 aos 89 anos. Seu nome está gravado na ETE – Estação de Tratamento de Esgoto do rio Conquistinha, inaugurada pelo CODAU em 25/11/2017. 


Cena do casamento de Hugo e Naná


As filhas de Hugo Rodrigues da Cunha: Patrícia, Cris e Junia


Fotos do casamento de Hugo Rodrigues da Cunha, de suas filhas e de Naná foram cedidas por Abilon Naves, criador do Bolg "Família Naves".


Gilberto Rezende

Empresário, membro da Academia de Letras do Triângulo Mineiro, ex-presidente da ACIU e do CIGRA. 


Siga a Revista Mulheres no Instagram e no Facebook