Desvendando a moda - De Fratelli a Prada


Nathália Marinelli


Uma das marcas mais renomadas e com maior destaque no mercado de luxo (e uma das minhas favoritas), a Prada, tem uma história incrível. Mas nem tudo são flores. Ela, como a maioria, também teve seus dias de luta. Calma, vamos por partes.

Em 1913, através das mãos de Mario Prada, foi fundada a famosa grife italiana que carregava seu sobrenome. Mario, juntamente com o seu irmão Martino, resolveu abrir uma loja que levava o sobrenome dos irmãos, portanto, Fratelli Prada (irmãos Prada para nós, brazucas).

Tudo começou com o design exclusivo de peças. Eles investiram pesado em acessórios de luxo (marca registrada da Prada até hoje), bolsas, malas de viagem e acessórios que eram confeccionados em couros diferenciados. Tudo isso feito à mão, com atenção a cada detalhe. Devido à alta qualidade e ao acabamento impecável, a Fratelli Prada começou a ganhar a notoriedade da nobreza e se destacar.

Em 1919 surge a emblemática (e incrível) loja da Galleria Vittorio Emanuele, que se transformou no destino preferido da realeza italiana e junto deles, de toda a aristocracia europeia.


Mas como eu disse, nem tudo foram flores. Com o passar dos anos, a marca foi perdendo notoriedade e chegou a vender míseros 450 mil/ano. Quantia simbólica atualmente.
Mas, vamos lá, como que a marca se tornou símbolo de luxo no mercado atual? Eu te respondo com nome e sobrenome, Miuccia Prada e seu marido Patrizio Bertelli. Agora vamos entender o motivo da minha paixão pela marca.


A PAPISA DA MODA


Atualmente, ela é conhecida por todos como a papisa da moda. Miuccia Bianchi Prada (Miu Miu para os íntimos), nascida em 10 de maio de 1949 em Milão, já tinha a moda no sangue. Ela tem sua formação em ciências políticas e é ex-militante do Partido Comunista Italiano. Mais nova, participava de passeatas utilizando roupas de estilistas como Yves Saint Laurent. Chegou a participar também de movimentos estudantis e quis trazer esse conceito para as suas coleções, no qual a mulher era uma mulher independente, inovadora, ousada e muito bem resolvida!

Assumiu o controle da empresa familiar ainda jovem, aos 28 anos, ocupando o lugar que até então era da mãe. Inicialmente, era uma ideia que ela detestava, porém, logo após o seu primeiro desfile prêt-à-porter, todos já falavam dela e do seu talento inato.
Tímida, não era amiga dos jornalistas e também não apreciava muito os eventos, mas mesmo assim fez com que a moda feminina jogasse ao seu favor.

Miu Miu antecipava as necessidades antes mesmo que nós, mulheres, soubéssemos dela.
Munida de um talento extraordinário, ela transformou a Prada nessa grife de sucesso que vemos nos hoje. Para se ter uma ideia de sua relevância, a Prada fora uma das marcas que mais ditou a moda nos últimos anos e como diz o filme até o Diabo veste Prada.
Hoje, a marca é sinônimo de requinte e bom gosto nos quatro cantos do mundo. Com o seu jeito reservado, Miuccia foi a primeira estilista a aparecer na The New York Magazine (2008) e também é a única estilista que consta na lista da revista Time das 100 pessoas mais influentes do mundo.


Nathália Marinelli

Designer e Branding de Moda. Formada em Design de Moda e especialista em Marketing Digital, Branding de moda (ESPM SÃO PAULO), Instagram (ESPM SÃO PAULO), Moda e Internacionalização (IED MILÃO) e Moda e Storytelling (ESMOD PARIS). 


* Este texto não reflete, necessariamente, a opinião da Revista Mulheres. O conteúdo é de total responsabilidade da autora. 


Siga a Revista Mulheres no Instagram (@revistamulheresoficial) e no Facebook (@mulheresuberaba).