Guerreiras


Viver com plenitude

Jornalista Isabel Minaré


O grupo conta com mais de 60  guerreiras. Foto: Francis Prado

Muitos sorrisos, abraços e agradecimentos marcaram o lançamento da quinta edição do Calendário Atma Doze Guerreiras 2020. A festa de caráter beneficente lotou o salão Parthenon Vip no dia 28 de janeiro para celebrar a vida de mulheres que venceram ou convivem com o diagnóstico do câncer. Autoridades, líderes classistas, empresários e jornalistas participaram da noite brilhante para conhecer as divas que estampam os meses deste ano: Elaine da Silva, Luciana Rodrigues, Maura da Silva, Nancy Oliveira, Sabrina Juliano, Silvana Almeida, Silvana Costa, Staelma Carvalho, Mônica dos Santos, Sheila Alves, Vânia Rodrigues e Vera de Oliveira. Junto das estrelas dos outros anos, elas viveram momentos iluminados e inesquecíveis.

O calendário Atma Doze Guerreiras foi criado em 2014 pelas arquitetas Alê Roso, Elisa Araújo e Jacqueline Potenza, juntamente com a revista Atma. De acordo com Elisa, a palavra “atma” significa aproveitar a vida. Alê destaca que os dois são trabalhos diferentes, mas com objetivos em comuns. “O calendário é um projeto social com arrecadação de recursos financeiros para ajudar pessoas e ONGs”, resume.


Elisa Araújo foi uma das criadoras do Calendário Atma Doze Guerreiras. Foto: Renata Reis


Elos de atitudes, meses e vidas. Essa corrente, composta de ações generosas e comportamentos solidários, contribui para a formação de uma nova consciência humana. No calendário, cada folha do mês é estampada com um exemplo de superação. É como se em cada dia do ano, a comunidade encontrasse naquele papel uma força contagiante e extraordinária para driblar os obstáculos e melhorar a relação com o mundo.  As modelos são carinhosamente chamadas de guerreiras. Silvana Costa é uma delas. Quando foi convidada para participar da folhinha, ficou em dúvida, pois não se considerava uma boa combatente. Depois, ao se relembrar da própria história, entendeu que servia de lição para muita gente. Com 24 anos e um bebê nos braços, Silvana passou por uma consulta e descobriu um câncer na tireoide. Ela entrou em desespero quando pensava com quem deixar o filho. A depressão “bateu à porta” e entrou. Mesmo desanimada, não fugiu da iodoterapia. Com o tempo, melhorou o lado emocional e deixou as boas energias fluírem. “Sei que, mesmo com o sofrimento, tenho que ser mais forte que a doença. Isso é ser guerreira”, define. Silvana e as colegas experimentaram um “dia de princesa”, com direito à produção de cabelo, maquiagem e figurino, para posar para as lentes da Francis Prado, a fotógrafa responsável pelo ensaio. O olhar cuidadoso da profissional, aliado à sensibilidade e competência da jornalista Rose Dutra e à dedicação dos demais voluntários, colocou a autoestima das mulheres nas alturas. E esse foi o objetivo primeiro do calendário. “Quisemos ressignificar a beleza feminina”, explica Elisa.

Modelos de 2015, Ana Paula Rodrigues e Viviane Quirino receberam a missão de tomar conta do projeto. Elas se desdobram para cuidar do calendário e das outras atividades, como festas, workshops, palestras, encontros e vivências emocionais. No ano passado, lançaram o segundo objeto social, as Canecas Doze Guerreiras, para, segundo Viviane, “contribuir com a humanidade e ajudar o planeta”.


Viviane e Ana Paula são as líderes do Grupo Doze Guerreiras. Foto: Paulo Lúcio


Mil exemplares são impressos a cada edição do calendário. Todo ano, eles se esgotam.  A renda das vendas é revertida para pacientes oncológicos carentes assistidos por entidades como a Vencer, a Casa de Apoio Danielle e o Instituto Boa Fé. Qualquer pessoa física ou jurídica pode ter acesso às prestações de contas das ações do grupo. Mesmo com tanto sucesso, Viviane necessita sempre de pessoas para ajudar. “Precisamos de gente para se doar e ajudar mulheres que necessitam de um estímulo para ver que o câncer não é fim, mas o recomeço de uma nova vida”, ensina.


Modelos do Calendário 2020. Foto: Francis Prado

11Jul