Nossos Filhos - Aprendi com meu pai


Márcia Resende


“Existem várias maneiras de aprender as coisas. A mais convencional delas é a do discurso pedagógico, a fala organizada que pretende nos ensinar o que precisamos saber. Mas aquela que nos marca de modo mais profundo e duradouro é sempre a da observação do gesto do outro, o exemplo do qual somos testemunhas e cujo significado reconhecemos visceralmente”. Carlos Diegues 

Nesta semana, em especial, quero fazer uma homenagem aos pais, ressaltar a importância que eles têm na família e criação dos filhos. 



É a figura paterna que muitas vezes tem o papel de ser o durão, o bravo. Que traz lições que marcam nossas vidas. Lições, não necessariamente através de frases, discurso ou sermão, mas também através de situações, silêncio ou aquele olhar que consegue mudar qualquer atitude. A educação não é falada, mas vista, aprendida com exemplos que ficam marcados na memória e no coração. Por isso tantas histórias, lições deixadas por pais que marcam vidas inteiras e são testemunhos para grandes mudanças. 

Chico Xavier disse que, depois dos filhos, nossa vida fica desapropriada. Com eles, a vida não nos pertence mais. Criar filhos é uma tarefa árdua e que se for compartilhada fica mais fácil. O médium ressalta que: As mães são sempre revelações angélicas de ternura, junto aos sonhos de cada filho, mas é preciso não esquecer que os pais também amam …” O pai chega na vida do filho para estabelecer a primeira relação além da mãe. A imagem dele é importante para o desenvolvimento dos filhos e o papel é fortalecer a educação do filho para a vida individual e social, além de promover segurança, independência e estabilidade emocional. Ele desempenha uma espécie de mediador entre o filho e a realidade. Ele representa proteção e presença marcante. 



Há uma fase da vida em que os filhos contestam os pais, uma etapa necessária para o reconhecimento do seu EU individual.  Depois de individualizados, às vezes adultos e pais, os filhos conseguem perceber que o pai, além de ser o herói ou o vilão, é uma pessoa com a melhor das intenções, que quer que o filho seja melhor do que ele. Às vésperas do Dia dos Pais, quero compartilhar alguns ensinamentos que meu pai me deixou: 


  1. seja honesta com você mesma e as pessoas ao seu redor; 
  2. não tenha medo da mudança. Ela sempre traz um grande aprendizado;
  3. entenda que a simplicidade cabe em qualquer lugar;
  4. saiba ouvir;
  5. procure ver o lado positivo de cada situação;
  6. não tenha medo de errar;
  7. respeite os mais velhos;
  8. pense que nunca é tarde para dizer “Eu te amo!”;
  9. agradeça sempre;
  10. creia. Existe alguém olhando por nós.


Todo pai ensina, todo filho aprende, mais do que com palavras, mas com um gesto de carinho, uma simples atenção cotidiana.

“Sempre que brigou comigo
Pra eu não correr perigo
Um herói pronto pra me salvar
E com você eu aprendi todas as lições
Eu enfrentei os meus dragões
E só depois me deixou voar”.
11 Vidas, trecho da música de Lucas Lucco 

Feliz Dia dos Pais!


O cantor Lucas Lucco com o filho Luca. Foto: reprodução Instagram


Márcia Resende

Especialista em Teen, Life e Professional Coaching. Escritora de textos motivacionais, de liderança e comportamento para a página Coaching e Champanhe for Woman, de Portugal, para o Portal R2S e para a revista da Sociedade Latino Americana de Coaching. 

Siga a Márcia no Facebook ou lhe envie uma e-mail para marciaresendecoaching@gmail.com.


Siga a Revista Mulheres no 
Instagram e no Facebook.