Turistando com o olhar de Marise Romano - Lago Titicaca e suas ilhas


Marise Romano


Fotos: Marise Romano


O Lago Titicaca tem 41 ilhas e fica a 3812 metros acima do nível do mar


O lago navegável mais alto do mundo fica na Cordilheira dos Andes, entre o Peru e a Bolívia, no altiplano dos Andes. São 3821 metros acima do nível do mar. O lago que abriga 41 ilhas tem uma profundidade média de 140 a 180 m e uma área de 8300 Km quadrados. Titicaca em espanhol ou Titiqaqa, na língua quéchua, é o maior lago da América do Sul em volume de água. Mais de 25 rios desaguam no Titicaca, um lago de água doce alimentado também pela água das chuvas e pelo degelo das geleiras do altiplano. Em nove ilhas artificiais vivem os Uros. Estas ilhas se tornaram uma grande atração turística no Peru, mas o lado boliviano tem visto o seu turismo em franco desenvolvimento. A pandemia atrapalhou momentaneamente este desenvolvimento do turismo, com hotéis fechados durante praticamente todo o ano de 2020, abrindo apenas para as festas de Ano Novo. 


La Paz é uma intrigante cidade... Uma das duas capitais da Bolívia. O comércio informal cria cenas que nunca passariam pela nossa cabeça...


Puno, no Peru, atrai uma quantidade expressiva de turistas e uma das ilhas de nome Taquile se destaca por permitir o conhecimento de uma comunidade indígena. 

O Titicaca não é o destino final da bacia na qual está inserido. Tem como vertedouro o rio Desaguadero, que vai pela Bolívia até o lago Poopó, que apresenta água salgada. A maior perda de água acontece pela evaporação pelos ventos e pela forte exposição de luz nesta altitude. 

O nome Titicaca significa Pedra do Puma e o lago que leva este nome tem uma parte menor e outra maior, chamadas respectivamente de Lago Huinaymarca e Lago Chucuito. No Peru chamam de Lago Pequeno e Lago Grande. O lago Titicaca tem origem tectônica e se formou pelo afundamento de uma parte da meseta andina.


O tom de azul das águas do Lago Titicaca encanta todos os turistas


A variação de temperatura na região é muito grande. Chove muito no verão e quase nada no inverno. As tempestades são frequentes e formam movimentos no lago chamados de tormentas. Estes movimentos nas águas são apreciados pelos turistas. 

Segundo a lenda andina, foi nas águas do Titicaca que nasceu a civilização inca. O "deus Sol" instruiu seus filhos para procurarem um local ideal para seu povo. Manco Capac e Mama Ocllo chegaram, então, a uma ilha - mais tarde batizada de Isla del Sol. O local teria sido o berço dos incas, que dominaram a região entre os séculos XII e XVI, quando se deu a invasão espanhola. Diversos sítios arqueológicos podem ser visitados ao longo do Titicaca, que tem como principais habitantes os povos uros, descendentes dos incas. 


A Isla del Sol é o roteiro ideal para quem quer se energizar na ilha sagrada da cultura Inca


Os moradores da região vivem da pesca, do artesanato e de muitos tipos de cultivo, como legumes e grãos. A quinua é plantada em diversas partes e há centenas de tipos diferentes de batata, chamada de papa na língua castelhana. O turismo é atraído pela energia maravilhosa do local. Não existe no mundo muitos locais tão silenciosos como as ilhas do Titicaca. 


Muitos mochileiros encontram abrigo em locais interessantes e com preços em torno de 50 reais por noite


Europeus são vistos por toda parte, muitos deles jovens mochileiros que pagam em média 80 bolivianos (cerca de 50 reais) por uma noite em um hostel de boa qualidade. As pequenas tendas aceitam dólar, mas na Isla del Sol não se aceitam cartões de crédito. Alguns hotéis têm parcerias com outras empresas na Ilha de Copacabana, mais desenvolvida em termos de comércio e com mais lojas e hotéis maiores. Todos os hotéis oferecem oxigênio para os hóspedes que sofrem com os desagradáveis sintomas da altura, como a falta de ar e o cansaço. Mas o mais correto é tomar o remedinho Acetazolamida 250 mg, três dias antes da viagem, para não sentir enjoo nem falta de ar. 


A Ilha de Copacabana é a principal cidade do entorno do lago Titicaca na Bolívia, de onde partem os barcos para a ilha sagrada dos Incas, a Isla del Sol



(Parceira publicitária: Rota do Turismo)


As lãs de alpacas, lhamas e ovelhas são utilizadas na confecção de casacos, gorros, jogos americanos, mochilas e toalhas de mesa. 

Por toda parte se encontram refrigerantes vindos de La Paz e quase sempre são servidos frios e não gelados nas lojinhas e pequenos mercados. Há bons vinhos bolivianos produzidos na região de Tarija. O forte da culinária da região é a truta. Em quase todas as refeições há a sopa de entrada, com amendoim, batata, milho branco e diferentes legumes plantados na região. Não se vê pessoas obesas e os homens costumam ser de muita força. As subidas e descidas das pedras fazem com que o turista caminhe muito e gaste a energia adquirida pela alimentação forte. 


La Paz é o ponto de partida para o turista chegar à Ilha de Copacabana


Para quem vai ficar umas horinhas em La Paz, vale conhecer o Valle de La Luna, um sítio arqueológico com formações rochosas espetaculares, onde já foi o fundo do mar...


Os turistas sempre são recebidos com o famoso chá da folha de coca, que é considerada sagrada por favorecer a circulação e proporcionar o suporte à altitude. Os moradores da região passam a ter mais glóbulos vermelhos para se adaptarem ao clima de altitude. 

O mais interessante é o tipo de agricultura desenvolvida nas montanhas. São feitos cortes para que exista o plantio de legumes e grãos, uma técnica milenar. O microclima gerado pela evaporação da água do lago permite a agricultura, mesmo nos meses sem chuva. 

O passeio à Isla del Sol é muito procurado pela vista maravilhosa oferecida de todos os lados da ilha. É fácil subir à parte mais alta e ver a vista magnífica proporcionada pelas águas celestes do lago Titicaca. Há trilhas íngremes e outras mais suaves para agradar todo tipo de turista. 


As margens do Lago Titicaca e suas 41 ilhas formam o cenário ideal para o turista dar valor a cada instante da vida...


Há museus para que o turista conheça mais da história da Bolívia e das comunidades indígenas que viveram e algumas que ainda vivem na região. 

Como não há muitas luzes no povoado da Isla del Sol, o céu é encantador. As estrelas podem ser vistas com clareza e alguns astrônomos costumam visitar e usar telescópios especiais para ver a beleza das constelações. 

Índios das comunidades locais costumam ler a sorte pelas folhas de coca e isto também atrai e encanta os turistas. 


O princípio do entardecer é o momento do dia em que os turistas param de fazer qualquer coisa para apreciar o brilho das águas do Lago Titicaca


O passeio deve partir de La Paz, uma cidade muito interessante, com bondinhos que cortam toda a cidade. Para seguir viagem, é melhor alugar uma van ou um táxi. Em cerca de uma hora e meia o turista pode sair de La Paz, passar pela cidade do Alto, conhecer os famosos Cholets, casas de três ou quatro andares, que são pontos comerciais no térreo, salões de baile no primeiro ou segundo andar e residência no terceiro. Geralmente estes cholets são enfeitados com exagero na fachada e não pintados nas laterais, para evitar os impostos. Mais da metade dos moradores da Bolívia vivem de maneira informal e não pagam os impostos devidos. O setor privado formal paga os impostos devidos. 


Bons hotéis se encontram na cidade Del Alto, emendada com La Paz


O trajeto entre a Ilha de Copacabana e a Isla Del Sol é feito por barcos


Enfim, o roteiro indicado na matéria desta edição é para quem deseja conhecer um lugar mágico, passar a mão na lã de uma ovelha, conhecer uma lhama, postar foto com uma vicunha, comprar um joguinho americano com a cara dos alpes andinos, tomar o famoso chá de coca para substituir o café mineiro e ser muito feliz nas alturas. 


O estilo de vida dos moradores da Isla del Sol é parecido com o mesmo dos primórdios. Plantar, colher, tecer e estar com a família...


Marise Romano

Fotógrafa e colunista social.  


Siga a Revista Mulheres no Instagram e no Facebook