Dados de uma pesquisa realizada, em fevereiro, pelo Ipec (Inteligência em Pesquisa e Consultoria) apontam que 15% das brasileiras com 16 anos ou mais teriam sofrido, na pandemia, algum tipo de violência por parente, companheiro ou ex-companheiro. São números que acendem a pergunta: Em briga de marido e mulher devemos meter a colher?

"Sim. Com certeza." A resposta enfática é da gerente do Centro Integrado da Mulher (CIM), Juciara Moura. Segundo ela, familiares, vizinhos e amigos são peças fundamentais para o fim de uma situação de violência íntima. "Não tem como perceber situação de violência e não fazer nada, tem que utilizar os canais de denúncia, os serviços que são oferecidos. Não podemos deixar a mulher sofrendo sozinha", pontua Juciara, reforçando que há casos em que a mulher não percebe que está em situação de violência.

Não é apenas a agressão física. Segundo o artigo 5° da Lei Maria da Penha, qualquer ação ou omissão baseada no gênero que lhe cause morte, lesão, sofrimento físico, sexual ou psicológico e dano moral ou patrimonial são considerados violência doméstica e familiar.
Em Uberaba, o Governo Municipal, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Social e do CIM, dispõe do Centro de Referência da Mulher (CRM). São oferecidos acolhimento e atendimento humanizado às mulheres em situação de violência. Há atendimento psicológico, social, orientação e encaminhamento jurídico.


O CIM funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h


Nos primeiros sete meses do ano, o CRM realizou 377 atendimentos. Em média, são 53 por mês. "Muitas vezes, a mulher que está sofrendo a violência doméstica tem vergonha, tem medo, preocupação com o futuro dos filhos, está em dependência financeira, emocional. Ficar calado, nessa situação, pode levar a mulher à morte."
A Coordenadoria Especial de Políticas Públicas para Mulheres também integra o CIM. O órgão tem como objetivo estimular, coordenar e apoiar políticas públicas que atendam às necessidades das mulheres uberabenses. Uma das metas atuais da Coordenadoria é inserir Uberaba no projeto Qualifica Mulher, do Governo Federal, que visa estimular ações que promovam a autonomia econômica da mulher.
O CIM atua em conjunto e em parceria com a Delegacia de Orientação e Proteção à Família (DOPF). Para quem precisa do atendimento, o Centro Integrado da Mulher fica no mesmo endereço da DOPF, na Rua Luiz Próspero, 242, Parque das Américas. O telefone é (34) 3312-9161. No primeiro semestre deste ano, o CIM voltou a funcionar no Parque das Américas para facilitar o atendimento integrado à vítima.
O oitavo mês do ano floresce e se abre para uma das principais campanhas de conscientização de enfrentamento à violência doméstica e familiar. O “Agosto Lilás” faz alusão à sanção da Lei Maria da Penha, que neste ano completa 15 anos, em um debut que redesenhou o destino de milhares de mulheres.
Abrindo as atividades, o Governo Municipal trouxe para Uberaba o webinário “Violência doméstica e de gênero e suas implicações na saúde da mulher”, com consultoras nacionais da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas/OMS). A proposta foi, principalmente, capacitar servidores do Município da rede de enfrentamento à violência contra a mulher e seus demais integrantes.
Para dar publicidade às portas de entrada e aos serviços que a vítima tem à disposição, também foi lançado o fluxograma oficial de atendimento à vítima de violência doméstica. As instituições atuam de forma integrada a fim de proteger a mulher. O compilado busca ainda evitar a revitimização, ao indicar o fluxo correto de encaminhamento na própria rede.
Baixe o fluxograma na página da Secretaria de Desenvolvimento Social.
A prefeita de Uberaba, Elisa Araújo, reforça que a mulher precisa ter consciência de que ela vai ser protegida, caso procure algum dos meios. "Precisamos falar disso e trazer ações de proteção para que haja mudanças dos padrões da nossa sociedade e a mulher se sinta segura e protegida em qualquer situação", finaliza Elisa.


Órgãos de ajuda à mulher

• Polícia Militar - 190
• Guarda Municipal - 153
• Central de Atendimento à Mulher – 180
• Delegacia de Proteção e Orientação à Família de Uberaba (Delegacia da Mulher) – 3319-8360 / 3318-8362
• Centro Integrado da Mulher – 3312-9161
• Defensoria Pública – 3312-1020 / 3312-7782
• Ministério Público de Minas Gerais – 3333-6658
Delegacia Virtual de Minas Gerais
• Centro de Atendimento Integral à Saúde da Mulher (Caism) – 3332-0559


(Parceria publicitária: Governo Municipal de Uberaba)


Siga a Revista Mulheres no Instagram e no Facebook.

11Jul