Prêmio Mulheres 2019


Jornalista Carol Naves  



Aplaudidas pela gestão de excelência, elas têm funções de liderança e mostram a força das mulheres em uma sociedade mais atuante e menos machista. Andrea Marques Lima é proprietária da Empresa Espaço Mútua, Silvana Elias é secretária de Educação de Uberaba, Elisa Gonçalves de Araújo é presidente da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg), em Uberaba, Mônica Hial Abreu é proprietária da badalada Griffe Empório Abreu e Beatriz da Cunha Tahan é gestora do Hotel Tamareiras. Unidas, elas representam a força das mulheres de Uberaba. 


Andrea Marques Lima

Exemplo de empreendedorismo, força e determinação

Jornalista Carol Naves 



Andrea Marques Lima tem uma história que merece ser contada e valorizada. Corajosa e empreendedora, ela reforça a participação das mulheres no mercado de trabalho e à frente das suas escolhas pessoais. Ela começou a trabalhar ainda adolescente, mas a carreira no Sebrae Minas iniciou em 20/06/1994. Falar sobre a empresa ainda causa emoção e felicidade pelas oportunidades oferecidas na época. “Um dia, lendo o jornal, vi uma oportunidade de emprego para secretária executiva. Fiz meu curriculum e entreguei no jornal. Na época não tinha experiência na área, mas acreditei que poderia fazer a diferença. Eu sempre tive muita força de vontade. Depois de vários testes, recebi a ligação e fui contratada.” 

Andrea é estudiosa e tem diversas atribuições profissionais. Formada em Ciências Contábeis, pós-graduada em Agente de Desenvolvimento em Cooperativas e Programas e Projetos Sociais. Possui um MBA em Gestão Estratégica de Pessoas e tem formação de Coaching Integral Sistêmico. “Comecei no Sebrae como secretária executiva, depois atuei como analista técnica e com projetos setoriais (Indústria, Comércio e Serviço e Agronegócios). A empresa me ofereceu um imenso crescimento profissional e pessoal, desenvolvi uma rede de contatos importante, construí um bom relacionamento com os colegas de trabalho e tivemos excelentes resultados. Foram anos de aprendizado. O Sebrae Minas é uma empresa repleta de pessoas competentes e dispostas a desenvolver seus talentos.” 

Foram quase 25 anos no Sebrae Minas. A experiência trouxe à Andrea, confiança e excelência nas relações profissionais e pessoais. Após mais de duas décadas envolvida na empresa, resolveu mudar e criar a sua própria empresa, a Espaço Mútua. Focada em realizar eventos empresariais, organizar missões guiadas, trabalhar com gestão estratégica de pessoas e coaching integral sistêmico. A empresa surgiu para oferecer um apoio real e que torne as pessoas unidas em torno do sucesso pessoal e de seus negócios. “Nós queremos permitir que todos que passam por aqui “saiam transformados”, que mudem a sua trajetória em direção ao sucesso, conhecendo seu estado atual e traçando um plano de ação de forma sistêmica. As empresas, mais do que nunca, necessitam de pessoas dispostas a desenvolver seus talentos, pessoas que estão dispostas a partir para a ação.” 

Focada na família, ela é casada há 30 anos com Francisco Lima Júnior, a empreendedora é mãe da advogada Aline Marques Lima e da estudante de medicina Amanda Marques Lima. Os pais, Carlos Antônio Marques e Vanda Corrêa, foram fundamentais na formação do seu caráter. A mãe incentiva a filha e ficou por várias vezes cuidando das netas, enquanto Andrea viajava para realizar seus cursos. “Não me arrependo do tempo que tive de ficar distante para investir no meu crescimento profissional. Às vezes a nossa ausência serve para contribuir para o desenvolvimento da família. Venho de uma origem que sempre precisou trabalhar muito para conseguir as coisas, sempre colaboramos uns com os outros. Meus irmãos, Luis Fernando Corrêa Marques e Carla Marques Silveira, sempre foram próximos e todos os esforços que tivemos nos ajudaram a conquistar nossos sonhos”. 

Apaixonada por Uberaba, ela acredita que a cidade é um polo em constante crescimento. “Sempre acreditei, aqui é um município rico em conhecimento e podemos desenvolver muitas ações de forma coletiva. Precisamos unir forças, pois sozinho ninguém faz nada, as parcerias são muito importantes e precisam ser fortalecidas.” O empreendedorismo é uma ferramenta importante para que as mulheres consigam alçar novos voos. As mulheres correspondem a pouco mais da metade da população brasileira e, ainda assim, é possível evidenciar a desigualdade de gênero. Sabemos que essa realidade tem mudado nos últimos anos, mas ainda precisamos lutar pela equidade. É preciso ter mais mulheres líderes, tanto nas empresas quanto na política. 

Empenhada em fazer o melhor pelas pessoas, ela reforça que a sensibilidade aliada ao profissional ajuda a tomar decisões mais assertivas, compreendendo as necessidades dos clientes e parceiros. “As pessoas precisam ter orgulho em vestir a camisa da empresa que trabalham. Não simplesmente levantarem todos os dias e irem trabalhar somente por trabalhar. Nos dias de hoje, a falta de tempo leva as pessoas à superficialidade. Isso é muito grave, o mundo pede por pessoas pró-ativas e empreendedoras. 

Comunicativa e dinâmica, a homenageada da Revista Mulheres celebra o excelente momento que está vivendo. Grata pelas oportunidades e com a realização do sonho: a empresa Espaço Mútua, ela finaliza a entrevista com uma das frases de que mais gosta, “o melhor ainda está por vir”. E nós sabemos que só podemos esperar grandes realizações desta mulher. 


Beatriz Cunha Tahan Oliveira

30 anos de sucesso na gestão do Tamareiras

Jornalista Carol Naves 



Beatriz Cunha Tahan Oliveira construiu uma carreira brilhante ao lado de algumas referências uberabenses. Desde os oitos anos, a pequena Bia, como é chamada pela família e amigos, já frequentava o supermercado da família. Carismática e comunicativa, ela adorava conversar com os clientes, funcionários e brincar na famosa máquina registradora. “Aos 18 anos comecei a trabalhar no Unibanco. Na época já cursava Publicidade e Propaganda.” 

Há 30 anos Uberaba recebia um super projeto no ramo da hotelaria. O grande hotel Tamareiras era inaugurado. Silvio Rodrigues da Cunha, o Silvinho, era o fundador do Hotel e tio de Beatriz. Com vinte anos ela foi convidada, a integrar a equipe da empresa. “Quando pisei no hotel pela primeira vez, eu tinha certeza, que aquele ambiente era o meu lugar e que eu me apaixonaria pelo ramo da hotelaria.” 

O Hotel foi aberto em caráter soft open, apenas para receber os hóspedes que vinham para a famosa Expozebu. A estrutura era sofisticada e o hotel tinha dois experts em hotelaria e Beatriz acompanhava o trabalho deles, absorvendo todos os ensinamentos possíveis. Determinada e curiosa, ela gostava de aprender. “Eu aproveitava todas as oportunidades para crescer. Fiz diversos cursos, nas áreas financeira, recursos humanos, governança, culinária e recepção. Sempre achei importante entender o funcionamento de tudo que poderia agregar para a excelência dos serviços aos nossos hóspedes.” 

A belíssima casa onde funciona o Tamareiras Park foi adquirida pelo seu tio Silvinho em 1986, comprada do pecuarista Marico Rodrigues da Cunha. Lá se hospedaram grandes líderes nacionais, como os presidentes da República Getúlio Vargas por duas vezes e Juscelino Kubitscheck por doze vezes; eles sempre marcavam presença nas festividades da feira agropecuária. 

Visionário e empreendedor, o empresário sempre sonhava com mais. E em 1990 erguia-se a primeira torre com setenta e seis apartamentos. A cada 5 anos eram inaugurados mais dois blocos de apartamentos, totalizando 130 unidades habitacionais. Em 2016 um marco arquitetônico acontecia, Uberaba recebia a Torre Prime, com mais 70 suítes e com sua majestosa passarela, que une o clássico Park ao Moderno Prime. “Quando me perguntam o que eu faço no Tamareiras, eu costumo dizer que sou como o Líbero no Basquete, jogo em qualquer posição. Atualmente estou no cargo de gerente geral, que antigamente era ocupado por meu irmão Hugo, que nos deixou em 2016. Eu aprendi muito com ele, uma das coisas de que não me esqueço é que para gerenciar uma empresa, você deve conhecer todas as áreas e todas as habilidades funcionais, para colocar cada pessoa no lugar em que ela mais se adapta.” 

Em 1990, Beatriz começou montando a equipe de colaboradores do Tamareiras. Muitos deles já se aposentaram, mas alguns continuam na empresa. “Tenho muita gratidão pela equipe que nós construímos. Nosso próximo projeto é brindar a cidade com o Tamareiras Premium, um projeto já concluído com 150 suítes.” 

Incentivadora da participação feminina no mercado de trabalho e nos cargos de liderança, ela participa deste processo oferecendo ainda mais oportunidades para as mulheres. “Temos as mesmas capacidades intelectuais e produtivas dos homens. Somos capazes de conciliar várias funções, conquistar espaços com respeito, derrubar barreiras impostas pelo patriarcado. Hoje já atuamos na política, economia, e vários outros setores, sem perder a feminilidade. Infelizmente a desigualdade de gênero ainda é fato no Brasil. Os cargos de liderança em grandes empresas e a equiparação salarial ainda são uma cruel realidade vivenciada por nós mulheres. Mas temos demonstrado nossa força e competência, alcançando nossos objetivos; temos habilidades e a nossa resistência tem derrubado todos esses preconceitos.” 

Cheia de atribuições profissionais, ela ainda tem tempo para se dedicar a família. “Tenho uma filha, que é meu orgulho e minha parceira. Sempre trocamos ideias e adoramos sair juntas. Meu marido é meu companheiro há mais de 30 anos. Ele é meu apoio para todos os momentos. Gostamos muito de ficar em casa, receber os amigos e viajar.” 

Beatriz Tahan recebe o prêmio da Revista Mulheres com muita humildade e satisfação. “Todo o resultado do Tamareiras surgiu da visão empreendedora do meu tio Silvinho. Tenho muita gratidão por ele, que me deu oportunidade de desenvolver minhas habilidades e confiou no meu potencial à frente da empresa. Ele sempre acreditou que os visitantes de Uberaba, mereceriam um hotel com categoria superior. A gestão do meu irmão Hugo foi incrível e sempre aplaudida pela sociedade. Apenas gratidão, dedico todo o meu conhecimento e aprendizado nesses 30 anos a eles.” 


Elisa Gonçalves de Araújo

Liderança feminina no setor das indústrias é referência em Uberaba

Jornalista Carol Naves



Ela tem uma história incrível. Elisa Gonçalves Araújo é a presidente da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg) Regional Vale do Rio Grande, sediada em Uberaba. Com uma carreira construída com ética e honestidade, ela é uma das maiores lideranças femininas do Triângulo Mineiro. 

Formada em Arquitetura e Urbanismo, começou a carreira ainda jovem, com o pai, no Hotel Jaguar. “Foi uma experiência de muito crescimento. Após dois anos, fui trabalhar no setor administrativo de nossa outra empresa, uma indústria de calçados (LevFort Calçados), e ainda exercia a Arquitetura. Logo pude perceber que deveria optar por me qualificar melhor na área administrativa e buscar cursos de Liderança, Coach, Gestão Administrativa e Negócios. Atualmente, estou ao lado do meu pai à frente de nossas empresas, no ramo de calçados, hotelaria e também de transportes (LevFort Transportadora).” 

A história de Elisa com a Fiemg - Regional Vale do Rio Grande surgiu quando ela participava de uma apresentação de um projeto arquitetônico de um estande coletivo de uma feira para os associados do Sindicato da Indústria de Calçados de Uberaba (Sindcau). Elisa sempre acompanhou as ações realizadas pelo pai, que foi presidente do Sindcau por duas gestões. “Logo que meu pai deixou o sindicato, a Alexandra Pereira se tornou presidente e eu delegada. Naquela época, tive uma maior participação no sindicato e fui escolhida para presidente, em 2013. Neste período, pude integrar a diretoria do Centro das Indústrias do Vale do Rio Grande (Cigra).” 

Em 2018, a Fiemg passou por uma transição de gestão e, pela primeira vez em 85 anos, existiu um movimento mais participativo dos presidentes dos sindicatos do Estado de Minas Gerais. Atualmente, são 139 sindicatos patronais filiados à Fiemg. No período de transição, aconteceram algumas mudanças, entre elas, a escolha da presidência da Fiemg Regional por meio de votação e não mais por indicação. Orgulhosa da eleição, Elisa celebra as realizações com os amigos de diretoria e vice-presidentes, Miria Rezende e Luiz Alberto Balieiro, também eleitos para representar as indústrias e os sindicatos patronais da região Vale do Rio Grande. Com um trabalho constante em busca do melhoramento do ambiente dos negócios para os empreendedores da região, a gestão de Elisa à frente da Fiemg tem construído um ótimo relacionamento com os representantes dos 20 municípios da região e com o governo Estadual e Federal. 

Esta é a primeira vez que mulheres assumem a Fiemg Regional Vale do Rio Grande. “A responsabilidade, em primeiro lugar, é mostrar a nossa competência, independentemente de sermos mulheres. Acima do gênero, deve estar o mérito. Com certeza é um grande desafio ocupar um cargo de liderança em um universo sempre dominado por homens.” 

A Fiemg é uma entidade de apoio aos empresários, que proporciona a defesa de interesses e a preparação das indústrias para os novos desafios, tornando-as mais competitivas e inovadoras. São mais de dois mil produtos para garantir o sucesso da indústria. Dentre eles, o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) e o Serviço Social da Indústria (Sesi). “Temos soluções de promoção de lazer, qualificação profissional, Ensino Médio, entre outras ações focadas também nos colaboradores da indústria e seus familiares. Desde que assumimos, em junho de 2018, realizamos várias ações e temos muitos outros projetos.” 

Engajada no mundo dos negócios, ela acredita nas boas oportunidades e valoriza a cidade de Uberaba. “Uberaba preserva uma grande característica de cidade interiorana, que é de um povo muito hospitaleiro e acolhedor. Temos ainda ótimos resultados relacionados ao desenvolvimento industrial. São oportunidades para profissionais de diferentes áreas e níveis. No que depender de nós, na Fiemg, estaremos sempre batalhando por mais desenvolvimento.” Apaixonada pela família, ela é casada com Juliano Arantes e mãe do inteligente Bento, de sete anos. “Meu marido é um grande parceiro. Sempre ofereceu muito apoio nas minhas escolhas profissionais. Ele é muito cuidadoso com a nossa casa e família. Essas atitudes garantem que eu fique tranquila nas frequentes ausências por conta do trabalho.” 

Vivendo excelentes momentos pessoal e profissional, ela termina esta entrevista reforçando a importância daqueles que foram fundamentais nesta caminhada. “Gratidão ao grupo de presidentes dos sindicatos, que acreditaram em mim, à equipe de colaboradores do Sistema Fiemg, em Uberaba e em Belo Horizonte, aos meus fiéis companheiros, os vice-presidentes da Fiemg Miria Rezende e Ziza. Agradeço também minha família, de pessoas que aguentam firme junto comigo, e de quem recebo o maior amor do mundo, fazendo com que todo o esforço valha a pena.” 


Monica Hial Abreu

Visionária, carismática e bem-sucedida

Jornalista Isabel Minaré 



“Sempre amei moda. Desde pequena, criava minhas roupas. Era uma facilidade que eu tinha e curtia muito. É aquela ‘vozinha’ lá no fundo da alma que lhe direciona para o que mais gosta”. Foi esse afeto, acrescido de facilidade, empenho e conhecimento que transformou Monica Hial Abreu em uma das empresárias mais prestigiadas do Brasil. 

Monica está à frente da loja multimarcas de vestuário e decoração Empório Abreu, que completou 20 anos em 2018. “A Empório Abreu é o ar que eu respiro”, define. Tanto tempo de sucesso no mercado de luxo é a prova do comprometimento e da responsabilidade da empresária. Para se manter atualizada e oferecer o melhor do segmento para as clientes, ela viaja e pesquisa muito. “Faço um trabalho de curadoria que acho essencial. A pessoa chegar aqui na loja e eu ter as marcas mais caras não resolve. Você tem que ter um produto que está super atual no momento e com o melhor custo-benefício”, esclarece.   

Mesmo com experiência, talento e sensibilidade para escolher e comercializar peças, a empreendedora faz uso de ferramentas externas e digitais para ter maior proximidade e comunicação com o público. “Hoje com essa vida de Instagram tudo é o instante. Todo dia eu fico o tempo inteiro nas redes sociais pesquisando novidades”, explica. “Cada profissão requer um tipo de trabalho. O meu é internet, viagem, feira, estudo para buscar sempre qualidade para o meu cliente. É oferecer um produto bom com preço justo”, completa.

Monica precisou fechar a Maison por um período. “Achava que trabalhava muito e não tinha retorno. O mercado da moda é a fogueira das vaidades. Ele dá muito desgaste. É muita cobrança e você nunca agrada. Fiquei frustrada”, confidencia. Ela ficou por um ano e meio em casa, onde “sentiu falta até dos problemas que tinha”.  “A cobrança era comigo porque eu queria agradar 100%. Eu queria mudar tudo, mudar a loja todo dia”, comenta. 

O período em reclusão gerou aprendizado e autoconhecimento. “O dia que eu resolvi não mudar e aceitar as coisas como elas são, comecei a ter mais gosto e amar mais o que eu fazia. Quando você bate lá no fundo, enxerga que as reclamações são de maturidade. Vi que a culpa não era minha. Todo trabalho tem problemas. E os meus eram muito fáceis de administrar”, admite. 

A empresária, quando não está ocupada com negócios, está em casa (é viciada em Netflix - aplicativo de transmissão online de séries e filmes), com a família (o marido Daniel Abreu e os filhos Orlando e Valentina) ou em eventos sociais. “Se eu sou convidada para um aniversário de cachorro, posso estar morrendo, mas falo que eu tenho que ir”, revela, mostrando alto-astral e bom humor. “A vida é uma troca e eu amo ser prestigiada. Por isso, faço o mesmo”, manifesta. 

Ela é engajada em causas filantrópicas e faz eventos para contribuir com as entidades necessitadas. “No meu aniversário, ao invés de pedir presente, peço dinheiro para doação. Todas as vezes que eu fiz evento beneficente, como bazares na loja, o meu retorno financeiro e emocional foi maravilhoso. As pessoas são muito solidárias. Às vezes querem ajudar, mas não sabem por onde começar. Na venda beneficente você não está se ajudando, você está ajudando o próximo. Isso me incentiva e motiva muito”, conta. 

A empresária conta que receber o Prêmio Mulheres 2019 “é uma honra muito grande”. O tributo vem se juntar às tantas outras homenagens pela comemoração, em março, dos seus 50 anos bem vividos e festivos.  A homenageada se diz regida pela frase: - A verdade me libertará. 


Silvana Elias da Silva Pereira

Exemplo de excelência em gestão educacional

Jornalista Carol Naves



Silvana Elias é pedagoga, especialista em políticas públicas e em Avaliação Educacional. Atualmente, desenvolve um trabalho de excelência e reconhecido por todos, à frente da Secretaria de Educação de Uberaba. A história profissional de Silvana começou cedo. Quando tinha apenas quinze anos, aluna do curso de magistério foi convidada a substituir temporariamente uma professora em licença. O que seria transitório tornou-se ininterrupto, já que passou a receber outros convites para atuar na educação. Atuou desde a educação infantil à alfabetização de Jovens e Adultos e universidades, tanto na esfera pública quanto na privada. Sua paixão pelo que faz é visível.

Em 1981, ingressou no Colégio Marista Diocesano ministrando aulas de Ensino Religioso, onde construiu um grande legado, chegando em 2000 à Direção do Colégio, sendo a primeira mulher a assumir a instituição. 

A carreira de Silvana na Prefeitura Municipal de Uberaba começou em 1991. Aprovada em concurso público, ingressou como educadora social e atuou na Secretaria do Trabalho e Assistência Social, onde foi Diretora do Centro de Atendimento Integral à criança e ao Adolescente, hoje Escola Anísio Teixeira, de onde saiu a convite do prefeito Marcos Montes para assumir a Secretaria Municipal de Assistência Social, onde atuou de 97 a 99. Em 2005, assumiu a Superintendência de Projetos e Parcerias Intersetoriais e em 2011 se aposentou. “Em 2013, retomei as atividades profissionais a convite do prefeito Paulo Piau, assumindo a Secretaria de Educação onde conseguimos formar uma equipe de excelência a serviço da educação municipal. Estar à frente da educação municipal tem sido um dos grandes desafios assumidos em toda a minha vida e me orgulho muito, pois colocamos Uberaba no cenário de melhor educação de Minas Gerais, segundo a Frente Nacional de Prefeitos. Gosto muito do serviço público, dada a proximidade com as pessoas e, em especial do povo, na conjectura de tecer políticas públicas.” 

Apaixonada por Uberaba, ela fala da cidade com brilho nos olhos. “Vivemos em uma cidade privilegiada, um berço de cultura e educação. Uberaba tem espaços enormes para o desenvolvimento em todos os setores, da educação à tecnologia. Estamos numa posição geográfica privilegiada que favorece muito a atração de empreendedores, temos uma vocação forte ao agronegócio, temos universidades de excelência, inclusive voltadas a pesquisas relevantes, um cenário turístico-cultural com grande potencialidades, além da referência regional na prestação de serviços em saúde. Da Educação Infantil ao Ensino Médio uma rede educacional de qualidade, tanto pública quanto privada, uma gama de escolas técnicas e um cenário crescente e muito promissor no Ensino Superior, fato que muito nos honra e estimula a continuar trabalhando por essa cidade, com otimismo e esperança.” 

Com diversas ações realizadas na educação desde 2013, ela aponta algumas que foram fundamentais. A entrega de 13 novas escolas. A implantação da Casa do Educador que oferece aos 3.500 professores da rede municipal, cursos de formação continuada durante todo o ano letivo gratuitamente. A implantação do Centro de Referência de Educação inclusiva – CREI, que atende com uma equipe multiprofissional crianças com deficiência, dificuldades de aprendizagem ou altas habilidades e a expansão das vagas do atendimento em tempo integral, atendendo atualmente, da educação infantil ao ensino fundamental em torno de 60% dos alunos da rede municipal; 

Mãe exemplar e participativa. Quando perguntamos sobre os filhos Fabiano, Fernanda e Fabíola, ela se emociona e fala sobre o orgulho e felicidade da maternidade. “Posso dizer, com toda modéstia, que consegui educar pessoas éticas, justas e responsáveis. Isso pra qualquer mãe ou pai é um presente de DEUS. A maternidade é também uma forma de oferecer ao mundo homens e mulheres de bem.” 

Sensível e militante determinada nas questões sociais e empoderamento feminino, ela acredita na educação como ferramenta de transformação social. “Os gestores públicos, os políticos e toda a sociedade civil precisam compreender que a mola propulsora de desenvolvimento de um povo é a educação. Nós educadores, somos plantadores de esperança. Ou se investe adequadamente ou se abdica do desenvolvimento. “É imprescindível a participação das mulheres na sociedade e na política. É nesse espaço de participação que nascem as políticas públicas, seja de saúde, educação, assistência social, cultura, mobilidade urbana e outras ações.” 

Grata pelas oportunidades, ela encerra a entrevista aplaudindo tudo o que tem sido realizado na educação, na gestão de Paulo Piau, destacando a parceria, o compromisso e a competência da equipe (4300 profissionais) envolvida na educação do município.