Prêmio Mulheres 2020 – Uberaba 200 anos


Jornalista Bia Adriano

Fotos Arthur Matos



Com trajetórias de vida marcadas pelo sucesso, elas representam o talento, a garra, a força e determinação da mulher. Elas são as nossas homenageadas com o especial Prêmio Mulheres 2020 – Uberaba 200 anos: Maria de Lourdes Costa Fernandes, empresária no setor de auto peças, que encanta pela atuação empresarial competente e pelas atitudes e generosidade para com o próximo; Marina Junqueira Caetano da Cruz, empresária bem sucedida do segmento pet, apaixonada pela vida e dedicada protetora do bem-estar animal; Nayara de Oliveira Andrade, mulher batalhadora cuja capacidade empreendedora e de inovação lhe rendeu o precoce sucesso como empresária no setor de beleza e estética; Teresinha Pinto Cartafina, ex-primeira-dama e ex-vereadora de Uberaba, com trajetória de vida marcada pela brilhante atuação na política e nas ações de responsabilidade social; Vera Antunes Mazarao De Toni, empresária no ramo sucroalcooleiro, que aos 87 anos é exemplo de vitalidade e protagonismo na família e na sociedade.


Maria de Lourdes Costa Fernandes

Vocação para ser solidária


 

Empresária no setor de autopeças, nascida em uma família de sete irmãos, a uberabense Maria de Lourdes Costa Fernandes começou a lecionar português aos 17 anos em escolas estaduais de Uberaba. Casou cedo e junto com o marido tornou-se empresária da Minas Peças e Acessórios.


Empresa

A empresa, com 38 funcionários, vende peças para carros nacionais e importados e é onde Maria de Lourdes trabalha no setor de Recursos Humanos ao lado do marido Toninho e dos filhos, Felipe e Frederico, que fizeram Administração de Empresas e hoje atuam ativamente na loja. “Eu falava para os meus filhos desde pequenos que eles deveriam dar continuidade na empresa do pai”, diz a empresária. Ela explica que o marido deixa os poderes da empresa sob a responsabilidade dos filhos, um no setor de compras e o outro nas vendas e finanças. Desde pequenos, os filhos acompanhavam os pais na empresa. “Foi natural para eles essa escolha, mas orei para que isso acontecesse”, explica.


Voluntariado

Com uma vocação natural para fazer o bem, Maria de Lourdes é uma pessoa que encanta pelas atitudes e generosidade ao próximo. Sua rotina é bem agitada com os compromissos na empresa e mesmo assim arranja tempo para fazer as caridades. A escolha dos lugares acontece por acaso, de acordo com a necessidade. E são muitos os lugares nos quais ela colabora: Lar Espírita André Luiz, Casa de Apoio Danielle, Anjos do Bem, Casa Fraterna Cantinho Da Paz Dona Mita, além das famílias carentes da cidade. Na Casa Fraterna Cantinho Da Paz Dona Mita, por exemplo, Maria de Lourdes ajuda outras voluntárias a fazerem enxoval de bebê para ser doado às mães carentes. Além do voluntariado nas entidades, ela faz mandalas e caixas de madeira para vender em bazares em que participa e reverte todo lucro para as casas carentes. Tudo é feito de forma anônima.


Doações

No primeiro aniversário do neto Lorenzo, ela pediu caixas de leite para doação. Foram arrecadados mais de trezentos litros. Maria de Lourdes fez questão de levar o neto, mesmo pequeno, para entregar as doações. “Eu ensinei meus filhos a fazer caridade, não só falando, mas participando, tanto que nos aniversários os presentes pedidos são doações. O maior presente é estar vivo. Quanto mais você dá, mais recebe”, relata a empresária.


Família

Maria de Lourdes comenta sobre o marido, com quem está junto há 35 anos. Ela diz que Toninho é uma pessoa muito calma, super parceiro e muito companheiro. Eles são tão unidos, que todos os domingos a família inteira, incluindo a nora, toma café da manhã ou almoça junto. A empresária conta que o segredo é o amor. “Tudo o que você faz tem a lei do retorno e não é só para as coisas ruins. Se você cultiva o bem, terá o bem”, conclui com a frase de Chico Xavier: “Aos outros, dou o direito de ser como são. A mim, dou o dever de ser cada dia melhor.”


Marina Junqueira Caetano da Cruz

A paixão pelos pets e pelo trabalho como determinantes do sucesso empresarial



A uberabense Marina Junqueira aos seus 45 anos de idade é empresária bem-sucedida do segmento pet. Bastante estudiosa, ao completar o segundo grau prestou psicologia e economia, mas sempre sonhou em fazer veterinária. Na época não tinha o curso de veterinária na cidade, então optou por ficar ao lado da família em Uberaba e fazer economia.

Aos 27 anos casou e foi morar por dois anos na fazenda com o marido Gilmar. “Foi um dos anos mais felizes da minha vida porque gosto muito de conviver com animais. Tive bichos de estimação de tudo quanto é jeito”, explica Marina.

Em 2008 começou criar cachorros e em 2010 abriu seu primeiro pet shop e continuou até 2013, quando uma tragédia aconteceu e a fez mudar os planos. “Perdi o chão com a morte do meu pai. Já tinha perdido minha mãe. Então, fechei o pet shop e fui gerenciar os negócios da família na fazenda”, fala a empresária.

Em 2018 abriu outro pet shop, o Sallon Pet. “Não me vejo fazendo outra coisa. Gosto muito de bichos.” Como uma workaholic assumida, ela odeia ficar em casa assistindo televisão. Gosta mesmo é de ir pra fazenda aos finais de semana.

Além dos animais, outra paixão de Marina são as viagens. Já conheceu boa parte do mundo, como Caribe, Argentina, Uruguai, Dubai e pretende conhecer ainda mais.


Personalidade

Marina é uma daquelas pessoas fáceis de conviver e com uma personalidade calma, que atrai atenção pela doçura. “Não sou daquelas que têm muitos amigos, muito pelo contrário, tenho poucos, mas sinceros. Não sou de explodir, guardo tudo para mim e sou apegada às pessoas e aos meus cachorros. Também sou muito certinha, organizada, responsável e ajo muito pela razão”, define Marina.


Família

A empresária é muito família e a convivência com os dois filhos, Adolfo Neto, de 14 anos e Rafael, de 19, é tranquila. “Meus filhos são muito amorosos e não me dão trabalho. São uma benção”, diz Junqueira.

Sobre o marido Gilmar, ela revela que ele é bem agitado, o oposto dela, mas que a convivência é boa por ele ser muito companheiro e ajudá-la em tudo que precisa. “O que sustenta um relacionamento é amor, companheirismo, respeito, paixão, tesão e amizade. E nós temos tudo isso na nossa relação”, conclui.


Nayara de Oliveira Andrade

Empreendedorismo e inovação no segmento de beleza e estética



Empresária no ramo da beleza, a jovem de 26 anos possui uma grande trajetória, tanto na vida pessoal quanto nos negócios. Casada com Gabriel Carlos Rosani e mãe de Sophia, Matheus e Gabi, a uberabense criou uma plataforma online de serviços de beleza delivery chamada Dellas. “Pensando em oferecer cuidados de beleza para as mulheres modernas e elevar sua autoestima, criei o Dellas, no qual a cliente pode solicitar vários serviços de beleza em casa, no trabalho ou até mesmo em um hotel”, diz a empresária. O sucesso precoce de Nayara não foi sorte, começou cedo. Desde os 14 anos, ela já sabia a importância do trabalho e iniciou sua primeira experiência profissional no ramo alimentício.


Dellas Beleza Delivery

É o terceiro aplicativo mobile do segmento da beleza desenvolvido no Brasil e o primeiro de Minas Gerais.  A ideia surgiu aos 24 anos quando gerenciava uma famosa choperia e restaurante da cidade e tinha vontade de empreender. “Com o sonho de abrir meu próprio negócio, enxerguei uma dificuldade que nós, mulheres, enfrentamos para estarmos sempre apresentáveis, seja no convívio social, seja no profissional. Porém, muitas vezes não temos tempo para esses cuidados de beleza e priorizamos filhos, casa, trabalho e estudo", ressalta. Na plataforma, quando a cliente faz um pedido, a profissional que estiver mais próxima do local o aceita e realiza o serviço. Sobre a segurança do sistema, Nayara revela que a equipe realiza uma criteriosa seleção das profissionais com avaliação do perfil, técnica, locais em que já prestaram serviços e até busca por antecedentes criminais. “As profissionais que realizam os atendimentos delivery são parceiras da plataforma Dellas. Fazemos um processo seletivo dessas profissionais autônomas e com o cadastramento, conseguimos expandir significativamente a clientela usando a tecnologia como aliada, proporcionando independência financeira e flexibilidade de horários para trabalharem”, explica. Com o intuito de receber, selecionar e capacitar profissionais, a empresária abriu o primeiro espaço físico, o Studio Dellas, que atende à demanda das clientes oferecendo vários serviços de beleza e estética.


Futuro

São mais de quatrocentas clientes atendidas por mês, seja no salão físico, seja por delivery, sendo os serviços mais procurados os de manicure, pedicure, designer de sobrancelhas, penteados e maquiagem. “Pretendo expandir a marca e selecionar franqueados. Estamos estudando propostas e atualizando a plataforma para melhor atender nossos usuários”, afirma.


Família 

A rotina da empreendedora é bastante agitada, mas divide com muito amor as tarefas da empresa e os cuidados dos três filhos pequenos e do marido, seu sócio e companheiro de vida. “Somos verdadeiramente apaixonados, cúmplices e dividimos nossos sonhos”, conclui.


Teresinha Pinto Cartafina

Presença marcante na política e na sociedade uberabense



Natural de Nova Ponte, Teresinha Cartafina, 86 anos, sempre teve muita afeição por Uberaba, tanto que passou a residir na cidade, constituiu família e recebeu o título de cidadã uberabense. Ela é viúva do médico, ex-vereador, ex-secretário de Saúde, ex-presidente da Câmara e ex-prefeito de Uberaba (1977 e 1983), dr. Silvério Cartafina Filho, com quem teve cinco filhos (Ana Keila, Viviane, Renato, Maristela e Cláudia), oito netos e três bisnetas.

Com uma voz firme e postura elegante, Teresinha Cartafina encanta não só pelas sábias palavras, mas pelas atitudes nobres de quem conheceu bem de perto a política. “Acompanhei meu marido durante os seis anos de governo e senti o que é uma cidade, o povo, o que é dar de si para os outros. Isso me ensinou muito sobre a vida pública. Hoje, não participo da política, eu vivo a política de muitos. Como mulher de prefeito, sempre fui feliz e junto com ele construímos um pouco da história de Uberaba”, diz a ex-vereadora.


Mulheres na política

Sempre muito ativa no meio político como companheira do marido, foi vereadora por dois mandatos e teve a oportunidade de vivenciar a política. “Eu sempre pensava: “Por que não a mulher na política? A mulher tem que desejar, ter compromisso e entender que na vida política você tem altos e baixos. É preciso que tenha muita coragem para enfrentar, mas vale a pena”, diz. Ela também ressalta que não dá conselhos, e sim quase um alerta para as mulheres participarem da política, porque a comunidade exige muito a presença dela. Há lugares, por exemplo, que precisam da mulher ativamente. “Quando a gente fala: os homens têm os atos heroicos, a mulher precisa pensar que ela tem os atos de sacrifícios. Não é fácil saber quando dizer sim e quando dizer não.” Quanto ao engajamento das mulheres nos cargos públicos, ela relembra de algumas que fizeram história em Uberaba. “Tive amigas que foram umas heroínas, como a Dona Fiuquinha (Marli da Conceição Prata Machado Borges), Lourdes Cunha Campos, Beatriz Guido. Elas foram mulheres que não só se doaram politica, mas humanamente. Elas foram ativas tanto na política quando na comunidade.”


Herança política

Dos oito netos, apenas um, Franco Cartafina, quis seguir os passos dos avós na vida pública. “Ele sempre falava: um dia eu quero ser político igual ao vovô e a vovó. E hoje eu estou muito feliz com ele na política. Franco é muito consciente do que quer e do que faz. Sempre pensa primeiro nos outros para depois pensar nele. Eu tinha certeza que ele ia levar um bom exemplo.” E o neto cumpriu a promessa e atualmente é deputado federal.


Hospital da Criança

O Hospital da Criança é um capítulo inteiro na vida dela. Foi convidada a trabalhar na instituição e lá permaneceu por mais de mais de trinta anos, passando por vários cargos até se tornar presidente por três vezes. “A vida no Hospital da Criança me ensinou muito, o que era você doar para alguém. Tive minhas tristezas, mas também muitas alegrias. Eu amo muito aquela casa.”


Filantropia

A caridade sempre fez parte da vida de Teresinha. Atualmente ela mantém, junto com outras mulheres, um grupo chamado Colméia Cartafina, no bairro Abadia. Elas se reúnem toda quinta-feira para bordar e fazer trabalhos manuais. Toda renda das vendas dos produtos é revertida para a caridade. “São 22 mulheres e todo fim de mês fazemos a festiva com um jantar. A finalidade é a filantropia. Lá conversamos, rezamos e trocamos ideias. É um grupo fabuloso”, conclui Teresinha.


Vera Antunes Mazarao de Toni

Vitalidade e protagonismo com a serenidade da experiência de vida


 

Empresária no ramo sucroalcooleiro, 87 anos, natural de Ituverava (SP), d. Vera De Toni foi criada junto aos avós paternos na fazenda e em 1976 se mudou para Uberaba com o marido Walter Paulo De Toni e os dez filhos: Paulo, Sônia, Jorge, Marcelo, Walter Júnior, Afonso, Auxiliadora, José Roberto, Eulália e André. Na época, o casal comprou uma fazenda chamada Melancia, e nela, cuidavam de plantações. “Nunca tive uma babá e uma empregada até vir para Uberaba. Eu fazia todo o serviço da casa. E dava conta”, explica d. Vera.

A matriarca da família é um exemplo de vitalidade, faz academia e pilates durante a semana inteira, não toma remédios e ainda tem disposição para os eventos sociais. “O segredo é a gente ter muita fé em Deus, acreditar e ter amigos. Sem os amigos, a gente não é ninguém”, diz a empresária. Tanto que em casa, tem a companhia das fiéis ajudantes, as irmãs Marta e Maríusa, que estão no convívio da família há mais de trinta anos.


Empresa

A família administra a empresa WD Agroindustrial, situada em João Pinheiro, na região de Patos de Minas (MG), com aproximadamente mil e quatrocentos funcionários, onde os dez filhos trabalham. “Eu ia mais na empresa quando meu marido era vivo. Hoje eu estou aposentada”, diz a matriarca. “Sempre falei para o meu marido: vamos trabalhar que um dia eu quero ver meus filhos bem. Agradecemos a Deus porque conseguimos”, conclui.


APAE

A relação da família com a caridade é natural, tanto que as doações são uma maneira de retribuir tudo o que já conquistaram e a APAE (Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais) faz parte dessa generosidade.


Família

Com toda certeza, é o maior bem que d. Vera possui e “exibe” com muito orgulho a grande família de dez filhos, 28 netos e 15 bisnetos. A empresária revela que a união é o alicerce dessa trajetória de sucesso e que a solidão não lhe faz companhia porque tem sempre um filho ou neto visitando sua residência.


Amor e exemplo

Essa união da família teve um protagonista essencial na vida de dona Vera, o marido Walter Paulo De Toni. “Nós vivemos muito bem. Fizemos sessenta anos de casados e nós nunca brigamos. Quando tínhamos que conversar era longe dos filhos. Foi sempre um bom marido”, explica a empresária. Por terem tido um exemplo tão marcante e forte de pai, os filhos foram companheiros do sr. Walter. E foi com o empresário que os filhos aprenderam a trabalhar e hoje passam de geração em geração essa poderosa herança que é o trabalho. “Meu marido era muito inteligente e sabia fazer negócios. Para chegarmos onde chegamos, ele trabalhou muito”, lembra.


Passaporte

Com uma lucidez impressionante e uma personalidade cativante, dona Vera não para em casa e está sempre cheia de atividades na agenda, entre elas as viagens em família. “Uma das viagens mais marcantes foi com os meus netos em Las Vegas.” Além da companhia dos mais jovens, as filhas também viajam com a mãe. “Já passei temporadas na Europa e conheço alguns países”, conclui.